Autor: Kelley Armstrong
Editora: Time Warner Books (UK)
Encadernação: Capa Mole
N.º de páginas: 464
Género: Ficção Urbana
ISBN:9781841493503


Sinopse

"Elena Michaels is the world's only female werewolf. And she's tired of it. Tired of a life spent hiding and protecting, a life where her most important job is hunting down rogue werewolves. Tired of a world that not only accepts the worst in her— her temper, her violence—but requires it. Worst of all, she realizes she's growing content with that life, with being that person.
So she left the Pack and returned to Toronto where she's trying to live as a human. When the Pack leader calls asking for her help fighting a sudden uprising, she only agrees because she owes him. Once this is over, she'll be squared with the Pack and free to live life as a human. Which is what she wants. Really."

Opinião
Elena, tendo sido transformada em lobisomens contra a sua vontade, e ao fim de alguns anos de convivência, decide afastar-se da sua alcateia para tentar levar uma vida normal, com um emprego, namorado e família humana, algo em que tem sido relativamente bem-sucedida até o dia em que recebe uma estranha chamada macho Alpha da alcateia, Jeremy.

A alcateia está com problemas em lidar com uns “Mutts” (lobisomens não pertencentes a uma alcateia) que lhes estão a comprometer o disfarce mantido durante muitos anos junto de uma comunidade humana, e Elena é chamada a ajudar já que estes são a sua especialidade. Mas voltar a “casa” significa abrir muitas feridas e lidar com situações mal resolvidas com o homem que ela um dia amou e que a transformou naquilo que ela é hoje, Clay.

Este livro está escrito de uma forma completamente envolvente e os momentos de pausa são escassos, o que o torna numa leitura absolutamente viciante, ou, como diriam os anglo-saxónicos, um verdadeiro “page turner”.

Elena é uma personagem bastante complexa e real, com qualidades e defeitos e detentora de um passado muito atribulado, o qual vamos descobrindo aos poucos. Aquilo que ela é e se tornou fazem com que seja uma personagem com uma grande carga emocional de agressividade e raiva não só pelo seu passado como pelo futuro que lhe foi roubado, algo que tenta esconder a todo o custo em prol dessa “vida normal” a que aspira.

Os seus sentimentos por Clay, uma personagem por si só bastante complexa e cheia de defeitos bem longe do homem perfeito criado para as heroínas deste tipo de livro, são contraditórios. É claro, desde o início deste livro que aquela relação está longe de estar terminada e esse “querer não querendo” é muito bem explorado ao longo de toda a história. O triângulo amoroso tem um fim que não é logo óbvio e autora não teve de recorrer aqueles clichés de matar um ou torná-lo dono de um defeito atroz e incompatível com a personalidade da personagem principal para que a escolha fosse feita.

O desenvolvimento das restantes personagens dos livros é díspar. Algumas encontram-se bastante bem desenvolvidas, outras nem por isso, mas todas com personalidades e movimentações na história bem distintas, tornando-se indispensáveis ao enredo que está a ser desenvolvido. Nenhuma parece estar a mais.

Este livro é uma autêntica descarga de adrenalina com todos os ingredientes para necessários para o tornar NO livro que rejuvenesce o mito dos lobisomens. Intriga, violência, emoção, romance e acção à mistura, tudo está lá e nas doses e alturas certas. Torna-se ainda melhor por estarmos perante uma heroína que de, ao contrário de muitos dos livros deste género, é forte, decidida e parte para acção. Mal dá para acreditar que se trata do 1º livro desta autora!

É, sem qualquer margem para dúvidas, que recomendo este livro aos apreciadores do género.



P.S. Peço imensas desculpas ao vencedores dos passatempos da semana passada mas ainda não consegui passar pelos correios para enviar os vossos prémios. Assim que o conseguir envio-vos um e-mail com essa informação.

Comments (6)

On 23 de junho de 2009 às 11:48 , WhiteLady3 disse...

O triângulo amoroso tem um fim que não é logo óbvio e autora não teve de recorrer aqueles clichés de matar um ou torná-lo dono de um defeito atroz e incompatível com a personalidade da personagem principal para que a escolha fosse feita.

Só por isto já fiquei com vontade de ler o livro! :D

Por acaso já leste o Blood and Chocolate? Acho que também mete lobisomens e sei que há um filme, mas gostaria de saber um pouco mais sobre o livro...

 
On 23 de junho de 2009 às 11:52 , Mónica disse...

Esse livro que mencionas nem sequer conheço por isso não te posso ajudar :( sorry

Também estou a gostar muito do Moon Call da Patricia Briggs mas até agora prefiro o Bitten.

 
On 23 de junho de 2009 às 14:00 , WhiteLady3 disse...

Também já tenho ouvido falar muito bem da Patricia Briggs. Acho que tenho que começar a ler mais sobre lobisomens. :D

 
On 4 de julho de 2009 às 11:45 , Calamity Jane disse...

Que engraçado. Acabei de encomendar este livro há umas horas e agora deparo-me com esta critica tão positiva (mais uma) ;)
Já li o Moon Call da Patricia Briggs e dentro do género é das séries que mais gosto...vamos ver se o Bitten supera!

 
On 4 de julho de 2009 às 16:55 , Mónica disse...

Calamity Jane,

Já li o Moon Called também (a opinião está em lista de espera um dia que eu tenha tempo para por as opiniões em dia) e preferi o Bitten. O Moon Called tem muitas personagens e demasiado criaturas mágias/fantásticas à mistura. Outro contratempo, para alguém que como eu adora um bom romance, esta parte é pouco explorada. No entanto, a personagem principal é muito interessante mesmo e é a razão principal que me vai levar a comprar o próximo da série.

 
On 4 de julho de 2009 às 22:48 , Canochinha disse...

Parece ser interessante! Vou pesquisar melhor :)