Na passada sexta-feira, o R. teve reunião até mais tarde que o previsto e eu estava mesmo a precisar de desanuviar. Resultado: Feira do Livro here I come!

E o resultado físico da 1ª visita à Feira do Livro de Lisboa deste ano foi:
  • 2 pés torcidos
  • 1 joelho esfarrapado
  • dores nos pés, pernas e braços
Felizmente, quando me estatelei no chão, com uma plateia de dezenas de pessoas a assistir, ainda não tinha comprado nenhum livro, logo não há estragos a assinalar nesse campo. Antes que pensem que sou muito trapalhona (o que não é 100% errado), foi com muita satisfação que ouvi uma senhora dizer era a 2ª vez, naquele dia somente, que uma pessoa caía naquele lugar. Não me entendam mal, a desgraça alheia não me dá qualquer tipo de prazer, mas apraz-me saber que a queda não é 100% à minha aselhice mas também a um claro defeito no chão!

No que a livros diz respeito o 1º estrago do ano foi:
  • 1 Guia de Nova York (a ver se para o ano lá vou)
  • 3 Livros
  • 3 Livros de Banda Desenhada
Dos livros comprei, 5 constavam da minha lista de compras e o outro não (que por acaso acho que para além de má compra é mau livro), o que até nem é nada mau tendo em conta que não tinha a lista comigo. Como desconfio que este ano devo de lá passar várias vezes, faço o resumo das compras no fim da feira.

No que à feira em si diz respeito, mais uma vez gostei bastante do que vi. Acho que a feira está, em termos estéticos, cada vez melhor e este ano há mais por onde comer. Sim, que isto de andar para cima e para baixo carregadinha de livros é coisa para cansar muito e abrir bem o apetite. Em termos de espaço apenas desgostei do espaço do grupo Leya. Com aquela disposição de stands e a ilha central para pagamento, sobra pouco espaço para as pessoas circularem livremente. Tem de se andar sempre com muita atenção e constantemente a desviar das outras pessoas mas, mesmo assim, os encontrões sucedem-se, o que é assim um bocadinho a dar para o desagradável!

No que aos grandes editores diz respeito, e porque isto não é só dizer mal, pela positiva destacou-se o Grupo Leya pois cada uma das suas chancelas tinha 3 livros dos dia com 40% de desconto, e descontinhos é o que a malta quer.

Já pela negativa destaco a Saída de Emergência. Para além de não ter nenhum livro do dia (pelo menos assinalado como tal e bem que eu andei para lá a espreitar nas 2x que por lá passei), dei por falta da maior parte dos títulos que tinha na minha lista de compras. Acredito que tenham tenham transposto a campanha do 2=3 da loja on-line para a Feira mas, se assim foi, também não estava assinalado. Fica aqui o meu apelo à editora Saída de Emergência, a qual é responsável para maior parte das minhas desgraças em termos de compras de livros em português: Façam uma melhor campanha na Feira! Assinalem bem os vossos livros do dia e toda e qualquer campanha que tenham! e já agora, tenham um leque mais abrangente de obras, principalmente das séries que vendem como é o caso da série da Robin Hobb da qual só tinha os 2 primeiros títulos disponíveis para venda!

E assim termino o meu primeiro balanço da Feira do Livro de Lisboa 2010. Para a semana há mais ;)


Comments (1)

On 1 de maio de 2010 às 19:45 , Célia M. disse...

Desde que a feira começou, fui todos os dias :D Infelizmente, ainda só comprei um livro, hoje, mas ia para comprar mais, o que não sucedeu devido à enorme confusão que por lá estava.

Quanto à Saída de Emergência, está um placard na parte de baixo dos pavilhões, ao centro, que fala na campanha 2=3 e tem as capas dos livros de oferta. Está lá desde o 1.º dia :) Os livros do dia, hoje também estavam expostos, mas acho que podiam divulgar isso na internet para quem estiver interessado - aliás, problema de muitas outras editoras.