Confesso que há mais de 10 anos que andava para comprar um livro deste autor e que nunca o tinha feito até ontem. Aliás, ontem foi um dia de estreias, comprei pela primeira vez um livro do Christian Jacq sendo que este é um "livro de bolso", o meu primeiro em português.

Voltando ao início da "conversa", levei para lá de um tempo absurdo a adquirir um livro deste autor. Ainda mais absurdo se torna quando se sabe (vocês não sabiam mas ficam a saber :D) que tenho verdadeira paixão pela história antiga do Egipto. Sou absolutamente fascinada pela era dos faraós e devoro tudo o que é artigo que encontro sobre este assunto. Depois de ler o "CV" deste autor espero bem não sair desiludida.

Quanto à aquisição do livro em formato de "bolso", fi-lo não só por ter um preço agradável, 10€, mas também por não pertencer aquelas edições em que distintos autores e obras têm direito ao mesmo grafismo mudando só as informações referentes à obra em questão. Este livro tem uma capa muito interessante e de papel de qualidade. No entanto, dispensava aquela coisinha laranja e branca a indicar "best-seller" e o número, indicativo a que volume da colecção que estão a editar neste formato, este livro pertence (detesto colecções literárias numerada).

Pesando os prós e o contras, se continuar a encontrar livros interessantes neste formato de edição e com esta qualidade decididamente vou ficar fã e apostar fortemente no formato 11/17 :D

Sinopse
"Neste livro o autor conta-nos a espantosa, quase inacreditável, história da mulher do célebre Faraó Tutankhamon. Terceira filha do Faraó herético Akhenaton, Akhesa sonha com a glória. Todos concordam que tem estofo de Rainha. A jovem vê abrir-se o caminho para o trono graças a uma vontade inquebrantável e uma inteligência fora do comum. Obra apaixonante, tecida de acontecimentos históricos, ficção e intriga, miséria e grandeza humana, "A Rainha Sol" é um livro inesquecível."

Ficha Técnica

Autor: Christian Jacq
Editora: Bertrand
Encadernação: Livro de Bolso 11/17
N.º de páginas: 586
Género: Romance Histórico
Hiperligações para esta mensagem

Sinopse
"Within the brotherhood, Rhage is the vampire with the strongest appetites. He’s the best fighter, the quickest to act on his impulses, and the most voracious lover—for inside him burns a ferocious curse cast by the Scribe Virgin. Possessed by this dark side, Rhage fears the times when his inner dragon is unleashed, making him a danger to everyone around him.
Mary Luce, a survivor of many hardships, is unwittingly thrown into the vampire world and reliant on Rhage’s protection. With a life-threatening curse of her own, Mary is not looking for love. Her faith in miracles was lost years ago. But when Rhage’s intense animal attraction turns into something more emotional, he knows that he must make Mary his alone. And while their enemies close in, Mary fights desperately to gain life eternal with the one she loves…
"

Opinião
A esta altura confesso que não sei se a minha análise ao primeiro livro desta série foi altamente condicionada pelo facto de ser uma novidade ou se foi isenta e exacta. Digo isto por outras críticas que li acerca deste segundo volume e por estas serem em grande maioria tão díspares da minha. Fica o aviso.

Neste 2º livro da série “Black Dagger Brotherhood” J.R.Ward dá-nos a conhecer outro elemento desta Irmandade, Rhage.

Por razões que irão descobrir ao ler o livro, esta personagem foi amaldiçoada à mais de um século pela Scribe Virgin (criadora da raça dos Vampiros e o “Deus” da raça), tendo se tornado em parte vampiro parte monstro. A maldição implica que Rhage tenha de ter um grande controlo sobre si mesmo, não podendo dar largas a emoções muito fortes como raiva e “fome”, por medo de perder o controlo e o monstro se soltar. Estas ânsias têm de ser constantemente controlada essencialmente com sexo. Vive então uma vida quase de obsessão por sexo, o que é fácil uma vez que é drop dead gorgeous, sem nunca se apaixonar por ninguém, até o dia que conhece Mary, uma “guerreira” ela mesma pelas batalhas que trava contra o cancro.

Todos os volumes desta série focam-se numa história de amor e este é sobre a paixão da Rhage por Mary. Pelo meio surge a eterna guerra entre Lessers e Vampiros, que agudiza-se, e alguns indícios do que irá ser o tema do 3º livro.

Mary vê-se envolvida num mundo que ela julgava ser apenas fantasia, quando um rapaz a segue até casa e se torna seu amigo. A sua vizinha, que ela desconhece pertencer ao mundo no qual está prestes a ingressar, reconhece o rapaz como sendo um da sua raça e ambas o levam à presença da Irmandade (a Mary, nesta altura desconhece por completo quem eles são na verdade). É aí que conhece o Rhage e a relação “obsessiva” destes dois começa. Nunca vi duas personagens tão obcecadas por sexo, e é aqui que começam os meus “problemas”.

A relação destes os dois é demasiado sexual. Decididamente há sexo a mais neste livro! Parece que é só o que estes dois sabem fazer! E para ajudar à festa a personagem da Mary é muito “chatinha”. Passa a vida a questionar-se porque é que o Rhage gosta dela, que não é possível ele gostar dela porque ele é lindo e ela não é nada de especial, and so on and so on. Primeiro quer, depois não quer, depois quer mas não pode ser porque tem de se concentrar em lutar contra o cancro e não quer ninguém a sofrer do lado dela... Sinceramente não há paciência! A personagem do Rhage é bem mais interessante mas mesmo assim, tirando a maldição de que é alvo, não é assim nada de especial em termos de desenvolvimento da personagem.

Este livro vale especialmente pelo maior conhecimento que nos é dado sobre a sociedade dos Vampiros e em especialmente da Irmandade e de alguns dos seus elementos circundantes. É-nos dado a entender qual será o casal que será protagonista do próximo livro, Zsadist e Bella, e pelos breves momentos da relação que nos são dados a conhecer, antecipa-se um excelente terceiro livro (que o é acreditem).

Salva-se o fim pelo espírito de sacrifício em prol da vida de outrem. Acreditava que tinha de haver um volte face mas mesmo assim foi algo assim demasiado transcendente e muito faustoso. Acho que podia ter tido o mesmo resultado mas sem tanto espalhafato.
Mesmo assim pode-se dizer que gostei deste livro e não me arrependo de o ter comprado. Apenas esperava mais.

Ficha Técnica
Autor: J.R. Ward
Editora: Piatkus
Encadernação: mass market
N.º de páginas: 441
Género: Romance Fantástico
Hiperligações para esta mensagem
Este post já circula há algum tempo na blogosfera dedicada aos livros, e como não sou excepção, também tenho as minhas.

- Normalmente leio 2-3 livros ao mesmo tempo;
- Não gosto de deixar livros a meio (o que já aconteceu) e por isso, por vezes, passam meses infinitos na minha mesa de cabeceira até que me decido acabá-los (é que há uns que são mesmo fraquinhos!!!);
- Tento ler sempre antes de dormir (fora disso é complicado arranjar tempo para ler);
- A maior parte dos meus livros nem parece que foi lido dados os cuidados que tenho com eles. Os versão mass market costumam ser forrados para não se danificarem ao andarem de um lado para o outro.
- Por causa da mania acima descrita, não empresto os meus livros a ninguém. Já tive grandes desgostos, desde entregarem-me um todo danificado e outro que foi prontamente destruído pela cadela de um colega meu. Escusado será dizer que não fui ressarcida de nenhum dos estragos.
- Ainda por causa da mania da preservação, não escrevo nem sublinho os meus livros.
- Os meus livros estão organizados numa estante do IKEA com 25 divisões. Os meus autores favoritos, e dos quais já disponho de uma quantidade relevante de obras, têm direito a uma divisão própria, e por ordem alfabética de autor. Os restantes estão organizados por ordem alfabética.
- Todos os meus livros (literatura, dicionário, enciclopédias, para troca e afins não estão classificados) estão registados num Excel, por autor, obra, língua, género e ISBN (já vou nos 238 :) ).

Não são assim tantas manias pois não? :S
Hiperligações para esta mensagem

Este livro foi recomendação da minha prima A. e que bela recomendação :D


Sinopse
“In the shadows of the night in Caldwell, New York, there's a deadly turf war going on between vampires and their slayers. There also exists a secret band of brothers like no other - six vampire warriors, defenders of their race. Among them, none relishes killing their enemies more than Wrath, the leader of the Black Dagger Brotherhood...
The only purebred vampire left on the planet, Wrath has a score to settle with the slayers who murdered his parents centuries ago. But when one of his most trusted fighters is killed- orphaning a half-breed daughter unaware of her heritage or her fate - Wrath must usher the beautiful female into the world of the undead…
Racked by a restlessness in her body that wasn't there before, Beth Randall is helpless against the dangerously sexy man who comes to her at night with shadows in his eyes. His tales of brotherhood and blood frighten her. But his touch ignites a dawning hunger that threatens to consume them both…


Opinião
Dark Lover é o primeiro livro da série “Black Dagger Brotherhood” escrita por J.R. Ward. Quando eu pensava que já não era possível trazer “novidades” ao mundo dos Vampiros eis que fico totalmente surpreendida por este livro.


A “Black Dagger Brotherhood” é constituída por uma subespécie de vampiros diferente, os Guerreiros. Estes são maiores e mais fortes que o vampiro mediano (que incrivelmente nesta história é quase tão frágil quanto um humano) e a sua missão é combater e matar os assassinos da sua espécie, os “Lessers”. Por sua vez os “Lessers” foram em tempos seres humanos com uma especial aptidão para a maldade e para a violência trocaram a sua alma pela vida eterna, em troca da dedicação à causa do extermínio da raça dos Vampiros. Tem um cheiro característico e com o passar dos anos vão ficando pálidos de pele, cabelo e olhos.


Nestes livros os Vampiros, com algumas excepções, não se alimentam de sangue humano uma vez que este é fraco demais para os deixar saciados por muito tempo. Alimentam-se uns aos outros que é como quem diz, os machos bebem sangue das fêmeas e vice-versa. Assim sendo, os maus da fita são necessariamente os “Lessers” (garanto-vos que é muito fácil ficar a detestar estas personagens e a desejar a sua morte).


Neste primeiro livro passamos por uma introdução breve às várias personagens que vão circular de livro em livro, sendo que cada volume desta série se foca em um elemento da Irmandade específico.


Voltando ao livro em si, a acção passa-se em Caldwell, New York. Este livro foca-se na personagem Wrath, um guerreiro praticamente cego que é o Rei dos Vampiros mas que recusa assumir essa responsabilidade por se achar indigno desta, e quer ser apenas mais um dos guerreiros da Irmandade. Os outros elementos da Irmandade têm todos nomes “fantásticos”, cada um adaptado à sua personalidade, Rhage, Vishous, Phury, Tohrment e Zsadist. O único com o nome talvez mais dito “normal”, Darius, falece logo no início da história antes de puder acompanhar a filha, Beth, na sua transição de meio-humana (filha de humana e vampiro) para vampira completa. Neste mundo, um vampiro é um elemento bastante fraco, do género de um humano, e só por volta das 25 anos, altura em que costuma ocorrer a transição, é que passam a ter a necessidade de beber sangue de um membro do sexo oposto. Esta é uma altura especialmente crítica para os meio‑humanos que, na maior parte das vezes, morrem durante o processo.


Sendo o sangue de Wrath único entre todos os vampiros por ser o único puro, este pode ser a salvação de Beth. Este pedido é feito por Darius antes da sua morte a Wrath que recusa. No entanto, e após a morte deste, e para honrá-lo Wrath aceita fazê-lo sendo que começa a vigiar Beth à espera do momento da sua transição. Estes não se conhecem da melhor maneira mas, se ao início ela tem medo dele, rapidamente a atracção entre eles toma conta da situação. Tem cenas de sexo, como não podia deixar de ser, sendo que estas são descritas de maneira bem sensual e sem recurso a linguagem “explicita”.

Como não quero entrar muito numa de spoillers, apenas digo que li este livro de rajada, não tendo conseguido adormecer antes de o acabar, eram quase 3 da manhã e sendo o dia seguinte de trabalho.

O livro está muito bem escrito, dentro do género de romance fantástico ao qual pertence, as personagens bem delineadas com virtudes e defeitos, o que as torna ainda mais reais e mais facilmente “gostáveis”, mas não é certamente para os mais nervosos. Se forem como eu (que me enquadro na categoria anterior), não vão haver unhas que resistam pois este livro tem a capacidade de vos colocar num estado de nervos tal, apenas para verem o desfecho das várias situações que se vão desenrolando ao longo do livro, que as unhas não vão resistir.

Para quem gosta de uma boa história romântica com sexo, violência, intriga e todos os demais condimentos, este é certamente um livro que eu recomendo.

Entretanto já li o 2º livro da série e já vou bem encaminhada no terceiro. Depois conto-vos o que achei ;)

Ficha Técnica
Autor: J.R. Ward
Editora: Piatkus
Encadernação: mass market
N.º de páginas: 393
Género: Romance Fantástico

Hiperligações para esta mensagem
Sinopse
"As mulheres descendentes de Maria Madalena possuem dons místicos que ameaçam os poderes estabelecidos. E agora a Igreja quer acabar com eles...França, século XIII: Bridget cresceu aprendendo a controlar os dons místicos da sua antepassada Maria Madalena, cuja ininterrupta linhagem feminina manteve vivo um legado de sabedoria durante milénios. Mas agora, a todo-poderosa Igreja Católica jurou destruir Bridget por usar os seus talentos curativos e as suas habilidades naturais. O dever de Bridget de continuar a linhagem leva-a até aos braços de Raoul de Montvallant, um católico. E quando a intolerância selvagem da Igreja leva Raoul a rebelar-se, a intolerância cresce para uma ânsia de vingança que só poderá ser saciada com uma cruzada de sangue."


Excerto
Leia um excerto deste livro
aqui.


Imprensa
«Elizabeth Chadwick sabe exactamente como escrever ficção histórica convincente e apelativa.»
MARINA OLIVER

«Dramático e repleto de suspense, com personagens que os leitores vão acarinhar.»
SHARON KAY PENMAN

«Prepare-se para ser deslumbrado.»
NOTTINGHAM EVENING POST


Ficha Técnica
Autor: Elizabeth Chadwick
Editora: Saída de Emergência
Ano de Publicação: 2008
Encadernação: Capa Mole
Nº de Páginas: 384
Género: Romance Histórico


Preço
Saída de Emergência
Fnac
Bertrand

Hiperligações para esta mensagem
Sinopse

"O belo e atormentado narrador de A GÁRGULA conduz numa estrada sinuosa quando é ofuscado pelo que parecia ser uma saraivada de setas. Despenha-se numa ravina e acorda numa unidade de queimados, sofrendo as torturas dos condenados. É agora um monstro. A sua vida acabou.Mas está apenas a começar: um dia, Marianne Engel, uma encantadora e indomável escultora de gárgulas, entra no seu quarto e revela-lhe que foram amantes na Alemanha medieval: ele, um mercenário que sofrera terríveis queimaduras; ela, uma freira escriba no famoso mosteiro de Engelthal, onde lhe prestara cuidados de enfermagem. À medida que se desenrola a sua história, qual Scherazade, e relata outras histórias igualmente fantásticas de amor imortal no Japão, Islândia, Itália e Inglaterra, o narrador é devolvido à vida e, por fim, ao amor.A GÁRGULA é um romance extraordinário que levará o leitor numa metamórfica e original viagem. Fá-lo-á acreditar no amor, em milagres e na rendição. O mais extraordinário romance de estreia da última década: uma fascinante história de amor sobre o poder libertador do sofrimento, que transcende os limites do nosso tempo e espaço."


Imprensa
«Uma história romântica, espiritual e redentora que enaltece o Amor como o mais nobre dos sentimentos
Os Meus Livros

Ficha Técnica
Autor: Andrew Davidson
Editora: Caderno
Ano de Publicação: Outubro de 2008
Encadernação: Capa Mole
N.º de páginas: 550
Género: Romance

Preço

Hiperligações para esta mensagem
Antes de mais aproveito a oportunidade para desejar um 2009 em GRANDE, repleto de coisas boas e muitas leituras, a todos aqueles que visitam este meu cantinho na Blogosfera.

Tenho andado desaparecida por motivos de saúde e profissionais que espero estarem resolvidos em breve para puder voltar às minhas leituras regulares. Enquanto isso não acontece coloco aqui o mui generoso Natal que eu tive, uma vez que traduzi parte do €€ que me deram em livros (o que desagradou a alguns) e me decidi mimar-me (e MUITO LOL).


Prenda da Avó












Prenda da Mãe












Prenda da Ana e do Eduardo













Prendas de Mim para Mim























E o vosso Natal como foi?
Hiperligações para esta mensagem